Notícias

Nove regiões ficam em vermelho no mapa definitivo da 14º rodada do Distanciamento controlado

São nove as regiões em bandeira vermelha no mapa definitivo da 14ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado. A divulgação foi feita pelo governador Eduardo Leite em transmissão pelas redes sociais nesta segunda-feira (10/8). As bandeiras ficam vigentes a partir da 0h desta terça (11/8) até as 23h59 da próxima segunda-feira (17/8).

Divulgado na sexta-feira (7/8), o mapa preliminar da 14ª rodada classificou 12 regiões como de alto risco epidemiológico. Depois de análise dos 25 pedidos de reconsideração enviados por municípios e associações regionais, o Gabinete de Crise acatou o recurso de três regiões, resultando em 12 regiões com bandeira laranja (risco médio).

O mapa definitivo – com nove regiões em bandeira vermelha e 12 em laranja –, mais a classificação de todas as áreas e os respectivos protocolos recomendados podem ser acessados em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br.


“Analisamos uma série de indicadores, como internações, óbitos, proporção de leitos livres por ocupados, ou seja, vários dados que nos ajudam a entender o nível de risco do avanço da velocidade da doença em cada uma das regiões do Estado e também o risco de colapso do sistema hospitalar. O final do mês de junho e o mês de julho seguramente foram os períodos mais difíceis, com velocidade de internações muito alta, mas temos expectativa de que, com a colaboração da população, possamos ver uma redução”, disse Leite.

O governo do Estado aceitou a reconsideração de Bagé, cujo pedido foi encaminhado pelo município para toda a região, e das associações regionais de Guaíba e Uruguaiana.

O Gabinete de Crise indeferiu os recursos apresentados pelas regiões de Passo Fundo, Palmeira das Missões, Erechim, Capão da Canoa, Taquara, Canoas e Pelotas, que permanecem em bandeira vermelha, por terem apresentado alto nível de ocupação dos leitos e de propagação do vírus.

Os sete se somam a Novo Hamburgo e Porto Alegre, que já estavam em vermelho, e seus representantes não apresentaram pedido de reconsideração.

“O modelo de Distanciamento Controlado serve para que possamos estabelecer as restrições na região, na proporção e no momento em que forem adequados, e serviu de inspiração para outros Estados, que adotaram a mesma política para regionalizar e definir as restrições de acordo com os riscos”, relembrou.

Regra 0-0

Depois da análise de recursos, o Estado ficou com 239 municípios sob bandeira vermelha, o que corresponde a 59,3% da população gaúcha (6.720.617 habitantes). Desse total, 115 municípios não tiveram registro de hospitalização e óbito por Covid-19 de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento – equivalente a 4,9% da população gaúcha (554.999 habitantes).

As prefeituras dessas cidades se adequam à chamada Regra 0-0 e podem, portanto, adotar protocolos previstos na bandeira laranja por meio de regulamento próprio. Basta que mantenham atualizados os registros nos sistemas oficiais e adotem, por meio de decreto, regulamento próprio, com protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja.

• Clique aqui e veja os municípios que se enquadram na Regra 0-0.

RECURSOS DEFERIDOS

REGIÕES (3)

• Guaíba: a nova região de Guaíba demonstrou certa estabilização, melhora na relação entre casos ativos e recuperados, e hospitalizações abaixo de 10 para cada 100 mil habitantes. A região inspira cuidados, mas o Gabinete de Crise entende que Guaíba pode adotar protocolos de bandeira laranja nesta semana.

• Uruguaiana: diminuição de óbitos de 10 para dois óbitos, além de um nível baixo de hospitalizações. Houve, de fato, aumento de hospitalizações na região de Uruguaiana, de 21 para 30 (43% de aumento), mas a capacidade hospitalar ainda é alta, de 1,65 leito livre para cada leito ocupado por Covid-19. Há indicadores que demonstram uma piora na região, mas o Gabinete de Crise entende que não é suficiente para enquadrar a região na bandeira vermelha.

• Bagé (município fez o pedido para a região): diminuição no número de hospitalizações de 11 para sete casos, estabilização de óbitos e diminuição no indicador que mede os casos ativos/recuperados. A região de Bagé foi muito influenciada pelos indicadores da macrorregião Sul, mas o governo entende que Bagé pode seguir na bandeira laranja.

MUNICÍPIOS (2)

• Iraí (região de Palmeira das Missões – registro de hospitalização)
• Ivoti (região de Novo Hamburgo – registro de hospitalização)

RECURSOS INDEFERIDOS

REGIÕES (7)

• Passo Fundo
• Palmeira das Missões
• Erechim
• Capão da Canoa
• Taquara
• Canoas
• Pelotas (município fez o pedido para a região)

NÃO ENVIARAM RECURSO

• Novo Hamburgo
• Porto Alegre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: